Em meio a uma risada gostosa o professor de metafísica do Colegiado dispara a frase: “o que é, é. O que não é, não é”. Os alunos concordam com a cabeça sem refletir profundamente sobre essa frase reveladora. O professor percebe, e com muita compaixão no coração solta mais uma risada.

É bem interessante refletir sobre como as situações a nossa volta mostram sinais o tempo todo. Tenho essa percepção desde criança, e em alguns aspectos era bem difícil de me enganar, mesmo que os adultos fizessem um “teatro”, pensando na cabeça deles que eu estava me iludindo com a cena. Contudo, em outras questões criamos uma teimosia tão grande, que mesmo a vida sinalizando de todos os lados que NÃO É, continuamos insistindo e fazendo tudo igual. Com quem aprendemos tamanho sofrimento? Bem, isso não importa. O que é realmente significativo é largar essa pretensão de querer escrever o futuro, e sentir a vida no agora. Viver o momento e não o planejamento.

Lembre-se: o que é, é. O que não é, não é.

Parece uma frase boba ou superficial, mas peço que você reflita bem sobre ela. Muitas vezes insistimos demais para que situações sejam como a cabeça programa. Mas a vida não segue roteiros. Não adianta ficar escrevendo a história que você quer viver, pois ninguém vai ler ou interpretar essa história. Viva cada momento como único. Tudo o que ocorre com você é único. Nada vai repetir exatamente como antes. As histórias podem ser parecidas, mas nunca são iguais.

Use o seu autoconhecimento e sabedoria para proporcionar soluções e desfechos melhores na sua vida, mas não programe cenas e situações. Nós somos 10% do poder de realização, o invisível (universo, deus, seja lá como quiser chamar…) são os outros 90%. Trabalhando juntos possuímos o poder de vitória sempre, mas afastados, quem pode mais?

A vida sempre vence. Não brigue com a vida. Se ela mostra que a situação “não é“, porque insistir? Isso não significa que não seja para você, mas não desse jeito. Não do jeito que a vida está mostrando que não é. Pare de lutar, pois essa postura de guerreira cansa e machuca. Use a sua sabedoria e desenvolva um plano conjunto com a vida. Observe os sinais e siga-os. Todas as pessoas e situações a nossa volta emanam sinais. Preste atenção. O que é, é. O que não é, não é.

Seja esperta e saiba entender o “não é” da vida, e crie outra maneira de fazer o seu objetivo dar certo. Quando a vida quer nos mostra o “é“, tudo flui na naturalidade, as coisas são fáceis. Mas se a vida quer dizer que “não é“, não vai para a frente mesmo. Pare de criar expectativas e ilusões das pessoas e das situações. Deixe de lado o pensa-pensa opressor, que faz com que você fique hipnotizada por uma ideia. Largue a teimosia que machuca e não traz nenhum bem para você. Se desfaça agora mesmo do quer-quer-quer, que condiciona a querer isso ou aquilo e traz uma insatisfação imensa por ainda não ter. E logo que você conquista o objetivo, vem outro quer-quer-quer na cabeça.

Viva tranquilamente, com a sua alma sentindo o que é para você e o que não é. Largue o roteiro que escreveu. Largue o roteiro que os outros escreveram para você. E largue também o roteiro que você imagina que os outros esperam que você cumpra. É muita imaginação envolvida em experiências que precisam ser sentidas, e não pensadas. Solte a crítica, solte o “tenho que…”, solte o “deveria”. Sinta o seu momento. Sinta a respiração. Sinta o sabor da comida. Sinta os aromas dos ambientes e das pessoas. Viva o presente e assim fica bem mais fácil entender quando a vida diz sim ou não.

 

Para seguir acompanhamento terapêutico de Luciana Estivalet com Reiki, Florais, Feng Shui ou Radiestesia, entre em contato pelo nosso site, Facebook ou WhatsApp 55 99159.9618. Coloque-se em primeiro plano, cuide-se.

error: